Italiano

Danza del Serpente

A “Danza del Serpente” é uma canção feita para uma brincadeira infantil:

Uma criança canta a canção sobre uma serpente que desceu do monte para procurar um pedaço do rabinho que ela perdeu. Ela pergunta à outra criança se é o pedacinho do seu rabinho (coda): a criança responde que sim, põe as mãos no ombro da primeira, e, assim, as duas crianças começam a cantar e a chamar outra criança assim por diante.

A terminologia da música clássica tem origem no italiano: partitura, legato, moderato, etc. A Itália é a capital da ópera. A palavra “coda” da canção da serpente também é um termo musical, que indica a parte final de uma canção e tem seu símbolo característico.

1) Quantas e quais palavras na canção são muito parecidas com o português?

A Itália está muito presente no Brasil. Desde o século IX e começo do século XX chegaram milhares de italianos e se instalaram nas regiões Sul e Sudeste. Os italianos, a princípio, trabalharam em plantações de café e praticamente ajudaram a construir São Paulo. Sua língua, sua comida, seus costumes e sua raça estão muito presentes na nossa cultura. Pra tentarmos imitar aos italianos falando, podemos começar imitando aos paulistas, que têm um sotaque marcado pelo idioma italiano.

Mundialmente, os italianos também conquistaram os apetites: todo mundo adora pizza, macarrão, canelone, mozzarela, fetuccine, lasagna. Na verdade, foram os chineses que criaram as massas, mas os italianos as recriaram ao seu estilo.

A Itália também tem influência no mundo através da Igreja Católica. O Vaticano está em Roma, capital da Itália. Lá também está a origem do latim, e o italiano é a língua que mais se parece com a língua mãe.  Algumas letras do italiano têm a mesma pronúncia do latim:

 seguido  de e ou i se pronuncia tche e tchiCícero então se lê  tchitchero.

diante de e e i soa dge e dgi: generosos se lê dgenerosus.

1) Você conhece o ritmo da última parte da canção que está em português?

2) Vocês percebem  que, no caso desta canção, a versão em português tem letra, ritmo e melodia diferentes?

Há uma versão para uma linda canção de Tom Jobim e Vinícius de Moraes  em italiano, veja se você descobre qual é:

Io so che ti amerò

Io so che ti amerò

Per tuta la mia vita ti amerò

E in ogni lontananza ti amerò e senza una speranza io so che ti amerò

Ed ogni mio pensiero è

Per dirti che

Io so che ti amerò per tutta La mia vita

 

Io so che piangerò ad ogni nuova assenza piangerò

Ma il tuo ritorno mi ripagherà

Del male che l´assenzaa mi farà

 

Io so che soffrirò

La pena senza fine che mi da

Il Desiderio d´essere con te per tutta la mia vita

Na Europa de muito tempo atrás, havia incontáveis dialetos derivados do latim e que com o passar dos séculos se transformaram em idiomas distintos: português, espanhol, italiano, galego, catalão, romeno… Na França, na Espanha e em Portugal houve uma evolução orgânica: o dialeto da cidade mais importante e poderosa economicamente passou a ser o idioma principal de toda a região: o francês de Paris, o português de Lisboa, o espanhol ou castelhano, de Castilla. Na Itália aconteceu algo diferente, a princípio, porque demorou muito a se tornar um país, pois havia partes da Itália que pertenciam à França, outras à Espanha e outras ao Vaticano. A dificuldade na comunicação era  grande, apesar de o povo optar pelo latim quando a confusão era muita. No século XVI, um grupo de intelectuais se reuniu para eleger como o idioma italiano o dialeto mais bonito dos inúmeros falados na península itálica. Esses intelectuais elegeram então o dialeto  florentino de Dante Alighieri, escritor e poeta do século XIV, autor da Divina Comédia. Ele utilizou a linguagem coloquial falada pelos habitantes de Florença; para ele,  o latim era uma língua muito elitista e aristocrática. O italiano é o idioma que mais conserva o latim em seu vocabulário.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Falando grego: a língua-avó

Você está falando grego?

1) Qual é a relação da voz da cantora de ópera com as palavras que ela canta?

2) Por que estas palavras parecem tão difíceis?

3) O que é um polissílabo?

As parlendas são versinhos com temática infantil que são recitados em brincadeiras de crianças. Possuem rima fácil e, por isso, são populares entre as crianças. Muitas parlendas são usadas em jogos para melhorar o relacionamento entre os participantes ou apenas por diversão. Algumas são bem antigas e foram criadas há décadas. Elas fazem parte do folclore brasileiro, pois representam uma importante tradição cultural do nosso povo. Abaixo, uma parlenda muito conhecida:

Um, dois, feijão com arroz

Três, quatro, feijão no prato

Cinco, seis, chegou minha vez

Sete, oito, comer biscoito

Nove, dez, comer pastéis

3) Você pode reconhecer em alguma das partes da canção semelhanças com a descrição de parlenda acima? Qual é a semelhança e qual é a diferença?

4) Quantas partes tem a música? E como se caracterizam?

5) O alfabeto grego é constituído de letras diferentes com nomes diferentes. Você sabe citar algumas?

A Grécia é uma civilização bem antiga, que nos remete à origem do nosso conhecimento em várias áreas da atual vida ocidental. Poderíamos abrir aqui um enorme parêntese e começarmos a estudar a Grécia infinitamente.

Poderíamos falar de religião, política, filosofia, matemática, astronomia, astrologia, artes plásticas, arquitetura, mitologia, teatro, jogos olímpicos…

Mas vamos falar da origem grega da língua portuguesa:

6) Descubra alguns prefixos e sufixos que aparecem na canção e no texto:

7) Pesquise e descubra o significado deles.

8) Pesquise mais palavras gregas que contenham prefixos e sufixos.

9) Prepare um discurso utilizando palavras bem complexas, como se você fosse um cientista que houvesse descoberto uma nova fórmula em biologia, matemática, física ou química. O seu discurso deve ser bem convincente pela complexidade das palavras que utiliza, mas não há necessidade de nexo (como na música).

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Outras línguas

Em construção

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Inglês

Em construção

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A língua global

Em construção

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Expressões da nossa língua

Em construção

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

A linguagem das máquinas

Esta canção também está no livro/CD Turma da Música, da Cecília Cavalieri, e foi tema de teses e estudos que podem ser vistos nos links abaixo:

http://www.sbfa.org.br/portal/anais2009/resumos/R1486-1.pdf

http://www.abemeducacaomusical.org.br/Masters/anais2008/069%20Júlia%20Escalda%20Mendonça%20&%20Maria%20Cecília%20Cavalieri

 

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized