As línguas dos negros

 

 Fuzuê

1ª escuta:

1) Essa música nos remete a qual ambiente?

2) Você já experimentou as comidas citadas na letra da canção?

Aula de música

A cozinha pode ser um lugar muito aconchegante. Há muitas casas em que as pessoas recebem as visitas na cozinha. Pode ser um lugar perigoso também, precisamos tomar cuidado! Mas quem já não batucou nas vasilhas da cozinha? As possibilidades sonoras são bem variadas.

1) Você consegue identificar na canção os instrumentos de percussão da cozinha? Quais são eles?

2) O ritmo da música é um maracatu. Há um ostinato do berimbau no começo que é como um baião. Pode-se seguir a linha do berimbau com palmas ou instrumentos de percussão e, na sequência, acompanhar os ostinatos seguintes.

3) Faça uma pesquisa com os timbres de objetos do entorno que a princípio não são musicais. Analise-os  e compare-os sucessivamente quanto a frequência, intensidade, duração, timbre.

4) Organize uma pequena orquestra com instrumentos feitos com objetos reciclados e alterne os regentes da orquestra entre as crianças. O regente pode controlar intensidade, dividir a orquestra em grupos, usar pausas, solos, pergunta e resposta, etc.

Na época da escravidão, os escravos costumavam se reunir para cantar, dançar, jogar capoeira e praticar seus cultos religiosos. São inúmeros os instrumentos musicais e principalmente os de percussão que têm origem africana: o berimbau, o atabaque, o agogô.

5) Além desses, você conhece outros?

Muitos ritmos brasileiros também foram criados e desenvolvidos pelos negros: o samba, o maracatu…

6) Pesquise e encontre outros gêneros musicais brasileiros e sua relação com os negros.

Aqui há um link de um Teaser do filme “Congadeiro” – Congado de Uberlândia – Direção: Clarissa Guimarães Aranyi – Edição: Guaiamum Vídeos, uma das festas de rua  brasileiras que misturam a cultura portuguesa com a africana.

http://www.youtube.com/watch?v=8WMyzLEtM6k&feature=plcp

Usos e costumes:

As mulheres  negras africanas, em geral, trabalhavam na cozinha e faziam muitos pratos africanos, que se transformaram na culinária típica brasileira. No estado da Bahia, eles são bem característicos, pois lá é onde predominam os descendentes de africanos. As comidas utilizam bastante azeite de dendê, pimenta, farinha de mandioca.

1) Cite alguns pratos da comida baiana.

2) E agora, da comida mineira e de outros lugares do Brasil.

Curiosidades:

Por serem línguas apenas faladas e não registradas através da escrita, as línguas indígenas e africanas se misturam e se confundem na sua origem, inclusive quando têm alguma semelhança na sonoridade. Há muita controvérsia em relação a algumas palavras.  A maneira como o índio e o negro pronunciavam o português também caracterizou  o sotaque doce e melodioso do português falado no Brasil.

Racismo e problemas socioeconômico-culturais brasileiros:

Na época da escravatura, os negros trabalhavam e tinham casa e comida, infelizmente, na maioria dos casos, da pior qualidade, além de serem injustiçados e torturados. A Princesa Isabel teve uma atitude importante instituindo a Lei Áurea. Mas depois da lei da abolição, os escravos geralmente ficavam sem trabalho, sem casa e sem comida. Muitos começaram a “se virar”, porque, como sempre trabalharam, sabiam muitos ofícios. Mas além de tudo usaram a criatividade para sobreviver. Essa criatividade faz parte da nossa identidade nacional.

Citando Livraghi  (autor do ensaio “O poder da estupidez”) “uma das maiores estupidezes humanas é o racismo, que há causado milhões de vítimas, incluindo os horrores do Holocausto e da Segunda Guerra Mundial. Não é mera coincidência se associarmos a nossa história de escravatura e suas consequências no Brasil”.

A época da abolição da escravatura também foi um marco para os grandes problemas sociais e econômicos do povo brasileiro. E, infelizmente, até hoje há uma mentalidade escravocrata e discriminadora, e os trabalhadores brasileiros não são respeitados e remunerados dignamente no Brasil. Nossa nação fará um grande avanço quando souber dividir melhor nossa riqueza; quando valorizar e assumir a formação mestiça do povo brasileiro; quando respeitar as individualidades e as diversidades, estará mais apta a ser um país desenvolvido. Nós, professores, que somos agentes multiplicadores, temos uma função importante na transformação dessa mentalidade; temos que, cada vez mais, aumentar nossa consciência para podermos transmitir valores mais justos, humanos e sem preconceitos.

Gramática:

1) Escreva “a” nas palavras de origem africana relativas à alimentação, “e” nas expressões populares e “r” nos termos religiosos:

(   ) cafundó  (   ) cuscuz  (   ) Iemanjá   (   ) caruru   (   ) borocoxô (   ) saravá  (   ) abará   (   ) Iansã

(   ) cafuné  (   ) abadá

2) Qual é a semelhança entre elas na acentuação?

Nesta canção de João Bosco encontramos palavras do tupi-guarani, das línguas africanas, etc. Faça uma pesquisa e descubra as origens das palavras sublinhadas:

Linha de Passe

Toca de tatu, lingüiça e paio e boi zebu

Rabada com angu, rabo-de-saia

Naco de peru, lombo de porco com tutu

E bolo de fubá, barriga d’água

Há um diz que tem e no balaio tem também

Um som bordão bordando o som, dedão, violação

Diz um diz que viu e no balaio viu também

Um pega lá no toma-lá-dá-cá, do samba

Um caldo de feijão, um vatapá, e coração

Boca de siri, um namorado e um mexilhão

Água de benzê, linha de passe e chimarrão

Babaluaê, rabo de arraia e confusão…

Eh, yeah, yeah . . .

(Valeu, valeu, Dirceu do seu gado deu…)

Cana e cafuné, fandango e cassulê

Sereno e pé no chão, bala, camdomblé

E o meu café, cadê? Não tem, vai pão com pão

Já era Tirolesa, o Garrincha, a Galeria

A Mayrink Veiga, o Vai-da-Valsa, e hoje em dia

Rola a bola, é sola, esfola, cola, é pau a pau

E lá vem Portela que nem Marquês de Pombal

Mal, isso assim vai mal, mas viva o carnaval

Lights e sarongs, bondes, louras, King-Kongs

Meu pirão primeiro é muita marmelada

Puxa saco, cata-resto, pato, jogo-de-cabresto

E a pedalada

Quebra outro nariz, na cara do juiz

Aí, e há quem faça uma cachorrada

E fique na banheira, ou jogue pra torcida

Feliz da vida

Composição:

1) Que tal escrever uma poesia usando palavras africanas?

2) Escolha alguma dança, festa ou música da diversidade cultural negra brasileira para fazer um lindo desenho.

Abaixo, um vídeo de fotos com a música “Fuzuê”. Novamente, não é recomendável mostrá-lo também antes de qualquer atividade:

Há um livro muito interessante para as crianças sobre a influência africana na nossa cultura: A África está em Nós. Ele pode ser lido na internet neste endereço: http://issuu.com/grafset/docs/03_-_unidade_2

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s