A língua indígena

Língua de Índio (letra cifrada)

Introdução 1ª parte: A G A G A G …

2ª parte: G F G F G F …

G                             F

Gente que mora aqui

               G              F

No Brasil fala Tupi

           G

Até mesmo sem saber

F

Um garoto índio é guri

G                         F

Maracujá já dava cá

        G           F

Sabiá já sabia assobiar

G                                   F

Eis que caraíba veio espiar

           G                               F

Tabajaras, Tupis, Tamóios, Guaranis

    A                                        G

Aqui por essas bandas brotava macaxera

     A                                           G

Pitanga, guariroba, jenipapo, abacaxi

           A                                      G

Uma festa na floresta, macaúba, sucupira

         A                                     G   

Capivara, jararaca, perereca, jabuti

REFRÃO

C                            Bb

Tamanduá morava cá

           C                   Bb

Tanajura ele vivia a cutucar

C                                     Bb

Eis que caraíba veio espiar

             C                                   Bb

Bororós, Caetés, Guaicurus e Aimorés

A                              G

Índio mora na maloca

                  A                            G

E joga peteca, gosta de pipoca

A                                      G

Branco mora em carioca

                           A

Aprendeu com índio

                     G

A comer paçoca

AH UH EH AH…      G  F

REFRÃO

 G                        F

Aracaju, Jacarepaguá

              G                   F

Mais lugares em Tupi como Araxá

G                                  F

Eis que caraíba veio espiar

          G                                F

Tapajós, Carijós, Caiapós, Tupiniquins

 A                                      G

Índio vê na mata Curupira e Saci

A                                    G

Toma guaraná e suquinho de açaí

A                       G

Índio fica tiririca

                         A                             G

Quando muriçoca pica seu cangote

A                                            G

Índio de Pindamonhangaba

                   A

Piauí, Sergipe

        G

Itamaracá

 

1ª escuta

1) O que quer dizer a letra dessa música?

2) Aponte palavras da letra da música que você consegue identificar como:

a) a flora brasileira

b) a fauna

c) os nomes dos lugares

d) comidas indígenas

e) usos e costumes indígenas

3) Você reconhece todas essas palavras?

 

 Na aula de música

1) Qual é o ambiente  sugerido pelo arranjo da canção?

2) Quais pessoas estão cantando?

3) Quais instrumentos você reconhece na introdução?

4) Essa música tem um pulso bem marcado. Pode-se fazer uma roda indígena e trabalhar o pulso feito pelos pés e/ou com chocalhos.

5) O que acontece na harmonia no  momento em que o coro de crianças canta: “Tamanduá morava cá, tanajura ele vivia a cutucar…”?

6) Analise a estrutura das estrofes. Quais delas têm a mesma melodia?

 

2ª escuta com o livro:

Interpretação de texto:

1) Você conhece os nomes dos lugares que a autora cita?

2) A autora quer dizer com a frase “Eis que caraíba veio espiar”:

a) que um índio chegou muito perto.

b) que um homem branco veio dar uma olhada.

3) Marque com a letra “b” os nomes dos bichos, com a letra “f”, os nomes das frutas e com a letra “a” os nomes das árvores:

(   ) pitanga    (   ) guariroba     (   ) macaúba     (    ) tamanduá        (   ) maracujá

(   ) sucupira    (   ) arara  (   ) jacarandá      (   ) jenipapo       (   ) tanajura   (   ) jabuticaba

4) Agora procure na letra da canção os nomes restantes dos animais, das frutas e das árvores.

5) O que significam as palavras: Tabajaras, Tamóios, Guaranis, Caetés, Guaicurus, Aimorés, etc?

6) Qual é o ente mitológico que tem os pés voltados para trás?

7) Como se chama o menino que faz muita bagunça por onde passa e que fuma cachimbo? O que mais você sabe sobre ele?

Gramática:

1) A autora, no texto, diz: “Pirassununga significa lugar onde o peixe faz barulho”. Muitas palavras na língua tupi são compostas, ou seja, formadas por sufixos e/ou prefixos, que determinam uma frase ou ideia completa. “Ita”, por exemplo, significa “pedra”; quando junto de outra palavra, vai significar algo relacionado a pedra. Procure na letra da música uma palavra que tenha “ita”.

2) O que significa a palavra “Jacarepaguá”. E “Sergipe”?

3) Dê exemplos de palavras oxítonas que são da língua tupi.

4) Dê exemplos de palavras paroxítonas.

5) Você encontrou alguma palavra proparoxítona?

6) Você encontrou alguma palavra que contenha a letra “f” ou o dígrafo “rr”?

7) Complete as frases:

Índio mora na……..

E joga……………………….

Gosta de …………………………………….

Branco mora em …………………………………….

Aprendeu com índio, a comer………………………………………..

 

Ciências e ecologia:

1) Qual é a relação que os índios têm com a natureza?

2) Você acha importante respeitarmos a natureza? Por quê?

3) Faça uma pesquisa e procure mais palavras das línguas indígenas relacionadas a:

a) nomes de animais;

b) nomes de plantas;

c) lugares do Brasil;

d) prefixos;

e) sufixos.

     

Curiosidades:

Herdamos dos povos indígenas do Brasil muitas tradições. Na comida, a mandioca e o milho são algumas delas, além da pamonha, que é feita de milho.

A rede para deitar é muito utilizada, principalmente no Nordeste.

Os índios viviam livres no Brasil; não conheciam a escravidão (a não ser quando uma tribo guerreava com outra e mantinha os inimigos como reféns) e não aceitaram serem escravos dos povos portugueses. Como sempre tiveram a abundância oferecida pela natureza, não entendiam por que os portugueses exigiam que eles trabalhassem tanto para acumular coisas e bens materiais. Então preferiam a morte à escravidão. Os índios têm uma organização social muito peculiar e harmônica. Sua cultura é relacionada à natureza, ao respeito mútuo, à socialização dos bens, ao respeito aos mais velhos. Eles têm muito a nos ensinar, e, graças a sua resistência, muito da abundante natureza que ainda temos no Brasil foi e está sendo conservada. Para os índios, perder sua cultura e sua organização tribal é como perder a vida, pois não se adaptam ao estilo de vida do homem branco.

1) O que você sabe sobre os índios brasileiros?

2) Você é descendente de índios ou tem alguma pessoa na família ou algum amigo/conhecido que seja indígena?

3) O que você sabe sobre economia sustentável?

A lenda da vitória-régia é uma lenda brasileira de origem indígena tupi-guarani.

Há muitos anos, em uma tribo indígena, contava-se que a Lua (Jaci, para os índios) era uma deusa, que, ao despontar da noite, beijava e enchia de luz os rostos das mais belas índias virgens da aldeia – as cunhantãs. Sempre que ela se escondia atrás das montanhas, levava para si as moças de sua preferência e as transformava em estrelas no firmamento.

Uma linda jovem da tribo, a guerreira Naiá, vivia sonhando com esse encontro e mal podia esperar pelo grande dia em que seria chamada por Jaci. Os anciãos da tribo alertavam Naiá: depois de seu encontro com a sedutora deusa, as moças perdiam seu sangue e sua carne, tornando-se luz – viravam as estrelas do céu. Mas quem a impediria? Naiá queria porque queria ser levada pela lua. À noite, cavalgava pelas montanhas atrás dela, sem nunca alcançá-la. Todas as noites eram assim, e a jovem índia definhava, sonhando com o encontro, sem desistir. Não comia nem bebia nada. Tão obcecada ficou que não havia pajé que lhe desse jeito.

Um dia, tendo parado para descansar à beira de um lago, viu em sua superfície a imagem da deusa amada: a Lua refletida em suas águas. Cega pelo seu sonho, lançou-se ao fundo e se afogou. A Lua, compadecida, quis recompensar o sacrifício da bela jovem índia e resolveu transformá-la em uma estrela diferente de todas aquelas que brilham no céu. Transformou-a então numa “Estrela das Águas”, única e perfeita: a planta vitória-régia. Assim nasceu uma linda planta, cujas flores brancas e perfumadas só abrem à noite, e, ao nascer do sol, ficam rosadas.

Nheengatu

O nheengatu, ou língua geral, era a língua falada no Brasil até o século XVIII. Derivada das várias línguas indígenas, com predominância do tupi-guarani, e misturada com o português, era utilizada por índios,  jesuítas e colonos portugueses.

A língua entrou em declínio no fim do  século XVIII com o aumento da imigração portuguesa, e, em 1758, o Marquês de Pombal proibiu a utilização do nheengatu, tornando obrigatório o uso do idioma português em todos os níveis. Alguns estudiosos da história afirmam que devido a esta medida o Brasil não chegou a ser um país bilíngue.

Até hoje ela pode ser ouvida em alguns locais da Amazônia.

Composição:

1) Que tal escrever uma pequena história usando palavras das línguas indígenas?

2) Faça um desenho escutando a canção: ilustre o ambiente e as imagens sugeridas pela letra.

3) Cada criança pode desenhar um animal ou outro elemento da canção. Quando os desenhos estiverem prontos,  faça “uma dança” de ilustrações apresentando cada ilustração assim que seu nome for citado na canção.

Abaixo, um vídeo de fotos com a música “Língua de Índio”.  Não é recomendável mostrá-lo antes de qualquer atividade. É como a velha história de o romance, em geral, ser melhor do que o filme. Poderemos ter muitas imagens na nossa cabeça ao ler um texto, e escutar uma canção e um vídeo é como se congelássemos imagens que podem ser muito limitadas em relação à nossa imaginação. Eu fiz o vídeo apenas com o intuito de divulgar na internet através do YouTube:

Esta canção também está presente no livro/CD Pra Fazer Música, da Cecília Cavalieri.

A cantora Marlui Miranda é pesquisadora da música e da cultura indígena. Em seu trabalho há canções que ela canta em línguas indígenas e também canções cantadas por índios.

Há um livro lindo chamado “Sakurabiat Mayãp Ebõ” de narrativas tradicionais indígenas, organizadas pela Ana Vilacy Galúcia. Vem acompanhado por um CD com os próprios índios narrando suas histórias.

Vejam só esse vídeo de um espetáculo realizado numa escola onde eles utilizaram a música Língua de Índio:

http://www.youtube.com/watch?v=70WgVEFBK7o

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s